Oi!
ListasLivrosNerdSéries

Anjos da Ficção Fantasiosa

O mundo da fantasia  é repleto de seres extraordinários, poderosos, enigmáticos, cheios de recursos e magias.  Mas dentre todos os seres que a fantasia pode nos trazer, um deles se destaca sobre os demais: Os anjos. Eles vêm do céu, tem conexão direta com o Senhor, suas espadas foram forjadas nas mais puras chamas celestiais e além disso são (quase sempre) os mais belos entre os belos.

Miguel e Gabriel – Dominion

Miguel e Gabriel são peças centrais da série Dominion. A série é a continuação do filme Legião que narra os acontecimentos da “2ª vinda”. Miguel quer proteger o escolhido enquanto Gabriel quer usa-lo por acreditar que por meio dele pode trazer de volta “O Pai” que deixou de falar com os anjos. 

Angela – Ex- Universo Spawn – Atual Universo Marvel

Na sua primeira origem (universo Spawn/Image Comics) Angela era uma anja, caçadora de Spawns. Se tornou tão popular que ganhou sua própria série de quadrinhos. Em 2013 após uma contenda jurídica, seus direitos passaram para a Marvel Comics e na sua nova origem ela se tornou filha de Odin e irmã de Thor e Loki.

Pygar – Barbarella

Está certo que ele é um anjo cego, mas ele também precisa ser sem expressão??? O ator que interpreta o personagem não consegue colocar nenhuma expressão em sua atuação, ele simplesmente parece um automato.  Pygar, o anjo,  salva Barbarella da Guarda Negra e ela mostra sua gratidão “fazendo amor” com ele.

Ablon – A Batalha do Apocalipse

Ablon foi um grande general nas Guerras Etéreas, mas, após se revoltar contra as injustiças dos arcanjos, foi expulso do céu e virou um renegado exilado na Terra. Foi elemento decisivo na Batalha do Apocalipse.

Metraton – Dogma

Um dos melhores filmes do diretor Kevin Smith, foi justamente contestando a ideia do Deus enquanto ser do sexo masculino e discutir a ideia dos dogmas da Igreja. O serafim  é a voz de Deus. Ele aterroriza o protagonista, aparecendo como uma coluna de fogo, mas rapidamente “apagado” por um extintor de incêndio.

Gabriel – Constantine (filme)

Aqui temos um anjo mais andrógeno, para que a questão de gênero não importe. O que deveria ser impensável é o que aflige Gabriel: a inveja dos seres humanos.