Oi!
Filmes

Star Wars a Ascensão Skywalker Não Ascendeu

Tem algo que eu falo muito, principalmente sobre as séries, é que um final de temporada incrível, não salva uma temporada ruim. O mesmo vale para Star Wars Rise of Skywalker (SWRS), algumas cenas incríveis não salvam o filme.

Antes de começar tem uma coisa que precisa ser dita, hoje em dia não precisamos falar (ainda mais se tratando da Disney) que o filme é lindo. Sim ele é, mas a beleza visual, todas as cenas são lindas, o CG é perfeito, os efeitos sonoros, nesse aspecto tudo é perfeito no filme. Então vamos falar do que importa, a história.

Chegamos no final de mais uma trilogia de Star Wars, dirigida por ninguém menos do que J.J Abrams (5 Motivos Que Comprovam Que J.J.Abrams é o “Chosen One” do Mundo Nerd) que tinha simplesmente arrebentado no primeiro filme da trilogia, e vinha como o portador da esperança nerd de que esse filme fecharia perfeitamente a trilogia. Não fechou.

ATENÇÃO DAQUI PARA FRENTE O TEXTO CONTÉM SPOILERS

O filme nos presenteia com diversas cenas que me fizeram chorar, como por exemplo o Chewie no final do filme recebendo a medalha que ele não ganhou no final do episódio IV, ou o Luke finalmente tirando uma X-Wing de dentro da água, o que ele não fez quando o Yoda ordenou em Dagobah, ou a Falcon surgindo como um raio de esperança com uma frota para o combate final. Isso tudo são cenas para emocionar o fã e cumpriram o seu papel. Mas algumas absolutamente perdem o sentido como a despedida de C3-PO (“eu quero olhar os meus amigos uma ultima vez”[porque JJ, me submete a tanta tristeza?]) e depois restauram toda a memória dele??? A cena perde o sentido, perde a importância. Aquele sacrifício não vale nada

Uma outra cena que retrata a perda de importância das ações é quando a Rey atravessa os mares revoltos para chegar até os escombros da Estrela da Morte. Ela só chega até lá, porque como dito anteriormente ela é a melhor pilota da frota (assim como Luke Skywalker, ela usa a força) e o Finn de repente chega lá em outro veículo. Mas como? Ele nem piloto é???

Sobre perder a importância, a maior “perda” que esse filme trás é o próprio retorno do Palpatine, que foi derrotado com o sacrifico de Vader/Anakin, que no final não valeu nada pois afinal de contas ele voltou.

Ainda sobre Palpatine, ele voltar só no final da trilogia e ser o grande “puppet master” achei a maior falta de criatividade que se poderia ter, que piora quando se revela que ele é o vovozinho da Rey. Tudo naquele planeta dele me incomoda então nem vou tocar no assunto.

Finn e Poe sofrem com a forçação de barra incrível em diversos diálogos para afirmarem a sua heterossexualidade. Muita gente shippava esse casal.

Acho que se fez um esforço muito grande  para provar que não tinha chance de rolar nada entre os dois.

O esperado beijo gay de Star Wars aconteceu mas se você não prestar atenção nem vai notar. O beijo acontece entre duas combatentes Rebeldes, sem nome, durante um momento de extrema comemoração com diversos elementos na tela e se você esta apenas prestando atenção no primeiro plano você perde.

Ainda sobre Finn ele diversas vezes da sinais de ser um usuário da força (será que por isso ele também conseguiu pilotar pelas aguas turbulentas?), mas a trama não se desenvolve, desperdiçando uma excelente oportunidade de mostrar que existem outros e a Rey e Kylo não são os últimos.

Até este momento em nenhum filme da saga a força tinha sido usada para curar (ou ressuscitar) alguém. Este ano (pelo menos eu) vi isso pela primeira vez sendo feito pelo baby Yoda (na série The Mandalorian), ai agora todo mundo sabe fazer essa parada. Rey usa o poder para curar e de certa forma ressuscitar Kylo que volta a ser Ben ( a redenção mais gratuita de todas, com o momento “for dummies” com o Han Solo explicando tudo) e depois de vários minutos da morte da Rey, Ben a trás a vida, afinal quase tudo nesse filme acaba perdendo seu valor, porque o seu sacrifício deveria ter?

Sobre o Reylo (Rey + Kylo) era o casal mais improvável mas acaba rolando, mas até entendo como se chegou a isso apesar de não ter gostado da explicação “díade da Força”. Kylo tenta matar ela no mínimo 3 vezes durante a trilogia, pode se dizer que das outras ele apenas a enfrentou sem interesse de matar. A conexão deles era através da força acabou sendo uma desculpa aceitável.

Uma coisa que me tirou muito do filme (ok pode ser bobagem minha mas…) foi a reunião dos rebeldes estar rolando e de repente me aparece um Hobbit????

Qual a necessidade de colocar um ator bem conhecido como o Dominic Monaghan num papel sem importância para meia duzia de falas??

Outra cena que te tira do filme, e que parece as piadinhas do Joss Whedon é a cena onde a Rey acende o sabre e ao lado dela o Poe acende uma… lanterna? Claro que foi uma brincadeira, quem nunca brincou de sabre de luz usando lanterna?? Mas é desnecessário para o filme.

Tem uma coisa que eu tenho dito já algum tempo e já vi outras pessoas dizerem é “CHEGA DOS SKYWALKER” ai chega no final do filme a Rey se apresenta como? COMO? Rey Skywalker. Não precisava.

O filme tem outras cenas péssimas, em um determinado momento do filme eu bati com a caixa da pipoca contra a minha própria cabeça tal indignação.
– Morte da Leia
– Treinamento da Leia
– Sabre de Luz da Leia ser verde depois ser azul
– Estadio de futebol com os “dementadores” do Palpatine
– Só ter duas bússolas para Planeta Sith mas lá ter tripulação para “trocentas” naves
– Dark Rey de sabre duplo

Apesar de tudo que eu disse, SWRS não é um filme RUIM, MAS isso não faz consequentemente que ele seja um filme BOM. Ele é um filme bem mediano, com diversos pontos negativos, mas que para aqueles que não são super fãs de Star Wars pode passar por um bom filme.